quarta-feira, 28 de junho de 2017

HENRIQUE TRINDADE TOMA POSSE COMO GOVERNADOR DO DISTRITO DO ROTARY INTERNACIONAL NESTE SÁBADO (01)

Em evento a ser realizado no sábado à noite (01/07) no Auditório do Centro Militar de Convenções e Hospedagem da Aeronáutica, localizado na Avenida Oceânica, no bairro de Ondina, em Salvador, o advogado Henrique Gonçalves Trindade toma posse como Governador do Distrito 4550 do Rotary Internacional para o biênio 2017-2018. A solenidade de transmissão de posse, que será feita pelo atual governador, Luiz Augusto Conceição, começa às 19h30.

Além de Salvador, o Distrito 4550 abrange boa parte do território baiano, incluindo Camaçari, Lauro de Freitas, Santo Antônio de Jesus, Cachoeira, São Félix, Alcobaça, Barreiras, Brumado, Buerarema, Caravelas,Cruz das Almas, Eunápolis, Guanambi, Ibicaraí, llhéus,Ipiaú,Itabatã,Itabuna,Itajuípe,Itanhem, Itapetinga, Jaguaquara, Jequié,Luis Eduardo Magalhães, Porto Seguro, Santa Cruz Cabralia, Teixeira de Freitas, Ubaitaba, Valença e Vitória da Conquista, com 56 clubes em funcionamento nesses municípios.

Segundo o Governador Henrique Trindade, são milhares de pessoas diretamente beneficiadas pelo Distrito 4550 do Rotary. Além de realizar dezenas de obras sociais, em cada localidade onde atua, uma das metas de Trindade é busca incessante do crescimento do quadro associativo no Distrito 4550 para ampliar as possibilidades de realização de novos projetos para atendimento da população.

“Nosso propósito é servir as comunidades onde atuamos. Não ganhamos absolutamente nada, somos todos voluntários que unem experiências, forças e suas redes de relacionamento. Nos mobilizamos na sociedade para conseguir tornar os projetos sociais realidade. E cada pessoa beneficiada pelos nossos programas entende muito bem que nossa organização existe para fazer a diferença no mundo”, pontua Trindade.

Por: Sergio Tonielo

SENADOR PASSOU MAL AO SABER DE PEDIDO PARA DESARQUIVAR PROCESSO CONTRA AÉCIO, DIZ COLUNA

Ao ser informado de que um grupo de senadores havia conseguido o número suficiente de assinaturas para desarquivar o pedido de cassação contra Aécio Neves (PSDB-MG), o senador João Alberto Souza (PMDB-MA) começou a passar mal. Presidente do Conselho de Ética pelo sexto mandato, ele havia decidido pelo arquivamento da denúncia por “falta de provas”. Mas, na tarde desta terça (27), cinco parlamentares protocolaram uma solicitação para que o processo seja reaberto. Segundo informações da coluna Radar Online, da Veja, logo após essa reviravolta, o senador começou a sentir tontura e desaceleração cardíaca. Ele até resistiu a ir ao hospital, mas, de acordo com a publicação, acabou sendo convencido pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). João Alberto está internado no Hospital das Forças Armadas, em Brasília.

APÓS DECISÃO DA NORUEGA, ALEMANHA DEVE CORTAR VERBA PARA AMAZÔNIA

O governo da Alemanha, segundo maior colaborador do Fundo da Amazônia depois da Noruega, também deve reduzir seu repasse ao programa, caso a alta projetada do desmatamento no ano passado se confirme em 2017. Nos últimos dois anos, o desmatamento da Amazônia subiu quase 60%. O aviso foi dado pelo diretor de Política Climática do Ministério do Meio Ambiente alemão, Karsten Sach, em visita ao governo brasileiro. Ele participou nesta terça-feira, 27, de um evento sobre metas de longo prazo de redução de mudanças climáticas.

"Nós queremos aumentar nossa cooperação com o Brasil, porque temos uma longa e boa tradição. Mas o que a Noruega decidiu foi consultando a gente, porque trabalhamos muito próximos, e essa medida é uma consequência do que combinamos desde o começo com o governo brasileiro - de pagamento com base em resultados. Como a taxa de desmatamento cresceu nos últimos dois anos, o Brasil recebe menos dinheiro. Isso é simplesmente uma consequência automática do aumento da taxa de desmatamento". Mas ao contrário da Noruega, que estimou pagamento máximo de cerca de US$ 35 milhões neste ano, conforme regras do fundo, a Alemanha ainda não falou em valores. Sach ressaltou que a Alemanha ficou feliz com o veto do presidente Michel Temer às medidas provisórias que reduziam o tamanho de unidades de conservação na Amazônia, mas informou que segue atento aos próximos passos.

"Dá tempo para ter propostas melhores, a discussão não está terminada, mas foi um passo importante para restaurar confiança. Nós, Alemanha e Noruega, estamos apoiando o Brasil no futuro. Pensamos até em intensificar isso, mas estamos olhando atentamente para ver reduções no desmatamento e se isso é feito de modo transparente". O secretário de Mudança do Clima e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, Everton Lucero, não reagiu com surpresa à informação. "Não é decisão unilateral de Alemanha ou da Noruega. É a aplicação de uma fórmula que foi definida lá atrás, em 2008, quando o fundo foi criado". Ele ressaltou que essa diminuição de recursos não deve afetar as ações de combate ao desmatamento.

"O BNDES dispõe de recursos líquidos de R$ 1 bilhão, que estão à espera de projetos. Claro que, no longo prazo, se continuarmos aplicando essa atualização da fórmula, aí tende a reduzir o limite do fundo". O Fundo da Amazônia tem até agora apenas três projetos aprovados em 2017. Mas outros 19 estão sob análise ou em consultas. No total, para que fossem aprovados, o fundo precisaria desembolsar US$ 175 milhões, cinco vezes o valor que a Noruega repassará ao Brasil. (As informações do Estadão)

STF DECIDE SOBRE REVISÃO DE ACORDOS

Superada a discussão sobre a relatoria do caso JBS, mantida com o ministro Edson Fachin, o julgamento no STF sobre os acordos de delação premiada deverá se concentrar, nesta quarta-feira (28), na discussão sobre a possibilidade de revisão das cláusulas de colaborações já homologadas. Entre os ministros que já votaram, Ricardo Lewandowski foi o único a se manifestar favorável à possibilidade de revisão.

O julgamento será retomado com o voto de Gilmar Mendes, dois dias depois de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentar denúncia contra Michel Temer. Gilmar fez duras críticas à atuação do Ministério Público na semana passada, quando começou a discussão sobre os limites de atuação do magistrado nos acordos de delação. "A Procuradoria pode muito. Mas pode tudo? É isso que a lei autoriza?", questionou Gilmar. "Me parece que nós temos de esclarecer o que se pode fazer, sob pena de ficarmos em platitudes".

No STF, a expectativa é de que Gilmar faça um voto longo e contundente. Ele já reconheceu que o caso da JBS é ainda mais delicado", por causa da concessão de imunidade penal aos delatores. Como informou o Estado no sábado, integrantes da Corte dizem acreditar que o STF vai impedir a revisão de acordos. (As informações do Estadão)

DENÚNCIA DÁ FORÇA A NOVA ONDA DE PRESSÃO NO PSDB

A denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer na segunda-feira, 26, ao Supremo Tribunal Federal reforçou o movimento de parte da bancada do PSDB na Câmara dos Deputados pelo desembarque do partido do governo. Apesar do esforço do Palácio do Planalto para manter os tucanos, que comandam quatro ministérios, ao seu lado, o presidente não deverá ter o apoio em bloco da legenda na votação da admissibilidade de denúncia no plenário da Câmara.

Para ser aprovada, a solicitação para a instauração do processo precisa do apoio de 342 dos 513 deputados da Casa. Se ficar admitida a acusação, após a aprovação do parecer, será autorizada a instauração do processo no Supremo.

O Estado ouviu 31 dos 46 integrantes da bancada do PSDB. Destes, 15 afirmaram que votarão pela admissibilidade da denúncia, sete contra e nove se disseram indecisos ou não quiseram opinar. Parte desse grupo prefere manter o posicionamento em sigilo por ora, mas muitos já falam abertamente.

"Vou votar favoravelmente. Não cabe à Câmara dos Deputados impedir a admissibilidade (da denúncia). O PSDB precisa de uma atitude independente em relação ao governo Temer", afirmou o deputado Eduardo Barbosa (MG). O Estado apurou ainda que, dos sete tucanos que integram a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde será realizada a primeira etapa do processo, pelo menos cinco tendem a votar contra o governo.

Consulta
O líder do PSDB na Câmara, deputado Ricardo Tripoli (SP), disse que avisou a cúpula do partido de que vai consultar a bancada e votará com a maioria. A interlocutores, porém, ele sinalizou que não pretende articular nenhum movimento em defesa do Planalto. Aliado do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o deputado Silvio Torres (SP), secretário-geral do PSDB, reconheceu que o ambiente mudou desde a reunião ampliada da executiva tucana no dia 12 que decidiu pela permanência no governo (mais informações nesta página).

Tempo
Em caráter reservado, até mesmo os mais conhecidos defensores de Temer na bancada declararam que o desembarque do partido da base do governo é uma "questão de tempo". A mudança de discurso do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que passou a defender a renúncia de Temer, enfraqueceu o discurso dos tucanos mais alinhados com o Planalto.

O PSDB comanda, atualmente, quatro pastas na Esplanada dos Ministérios: Cidades (Bruno Araújo), Relações Exteriores (Aloysio Nunes Ferreira), Direitos Humanos (Luislinda Valois) e Secretaria de Governo (Antonio Imbassahy). Destes, Imbassahy e Nunes são os mais engajados em manter o PSDB no governo. O presidente licenciado do PSDB, senador afastado Aécio Neves (MG), também faz parte do grupo que pressiona o partido para permanecer ao lado de Temer.

Carta
Essa ala "pró-permanência" no governo no tem ainda o reforço do Instituto Teotônio Vilela, braço teórico do PSDB que é presidido pelo suplente de senador e ex-secretário estadual José Aníbal (SP). Em uma "carta de formulação e mobilização política" divulgada ontem, o instituto disse que a eventual queda de Temer atende "às preces dos narradores do petismo".

O mesmo documento faz coro com a defesa de Temer e afirma que não há, pelo menos por ora, "uma prova inconteste, uma evidência acachapante ou um depoimento irrefutável que leve a uma condenação inequívoca". (As informações são do jornal O Estado de S. Paulo)

CCJ: APENAS 4 DEFENDEM ABERTAMENTE REJEIÇÃO DA DENÚNCIA CONTRA TEMER

Após a denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer (clique aqui), o clima na base aliada não é favorável ao peemedebista. Em apuração preliminar realizada pelo jornal O Globo, que entrevistou os 66 deputados titulares da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, apenas 4 defenderam abertamente a rejeição da denúncia no colegiado: Alceu Moreira (PMDB-RS); Alceu Moura (PSC-SE); Fausto Pinato (PP-SP) e Maia Filho (PP-PI).

A oposição já tem, em contraponto, 13 votos a favor da abertura da investigação. Entre essas duas posições, a maioria demonstrou indecisão. “Votarei como o partido decidir”, afirmou o Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP). “Preciso ver a denúncia e a defesa do presidente Temer para decidir. A defesa é direito de todo réu. É preciso provar os fatos. O objeto do crime tem que estar cristalizado. Por outro lado, o país vai pagar um preço muito grande. As coisas estavam começando a melhorar”, argumentou Danilo Forte (PSB-PI).

Ele é considerado governista, mas pode ser substituído na CCJ pelo PSB, caso decida votar contra a denúncia. Dos 13 deputados que já se manifestaram a favor da investigação por crime de corrupção passiva, um é integrante da base, Fábio Souza (PSDB-GO). “Pelo que já li da denúncia, considero bastante grave, está bem embasada, e atende aos critérios de admissibilidade na CCJ”, afirmou o tucano.

OAB E MINISTÉRIO PÚBLICO NA BAHIA CRITICAM DECLARAÇÕES DE PRESIDENTE

As acusações contra o procurador-geral da República e a tentativa do presidente Michel Temer (PMDB) de desqualificar Rodrigo Janot, que o denunciou no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva, foram recebidas com críticas pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-BA), Luiz Viana Queiroz, e pela procuradora-geral de Justiça da Bahia, Ediene Lousado.

“Ataques infundados ao procurador-geral da República não servem à democracia, ao equilíbrio dos poderes e à responsabilidade republicana”, reagiu Luiz Viana, para quem os “excessos verbais” fazem parte da reação da grande maioria dos acusados por crime de corrupção.

O jurista lembra que a OAB nacional ingressou com um pedido de impeachment contra Temer na Câmara dos Deputados por crime de responsabilidade – o documento ainda não foi examinado pelo presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (PMDB-RJ) –, e que as agressões contra Janot são um complicador a mais. “Estas manifestações, agora, reforçam a sua perda de legitimidade para se manter à frente da Presidência da república”, conclui Queiroz.

Quanto ao pedido de impeachment protocolado na Câmara, o presidente da OAB-BA disse esperar que o presidente da Câmara e o congresso ajam dentro dos limites da responsabilidade institucional. “Não é possivel engavetar o pedido de impeachment. É preciso examinar juridicamente suas argumentações”.

Indignada
Já a Procuradora-chefe do Ministério Público da Bahia (MP-BA), Ediene Lousado, também se disse “indignada” com os ataques e as declarações “raivosas e infundadas” dirigidos pelo presidente Michel Temer ao procurador-geral da República Rodrigo Janot. São acusações, na avaliação da procuradora, que não apenas atingem a dignidade de Rodrigo Janot, mas também a imagem de todo o Ministério Público do país.

Ediene ressalta que a denúncia da PGR contra o presidente resulta do cumprimento do dever legal do Ministério Público de investigar eventuais crimes contra a administração pública e em delitos cometidos por agentes políticos. “Ela (a denúncia da PGR contra Temer) demonstra de forma inequívoca que, no estado democrático de direito defendido pela Constituição Federal, nenhum cidadão está acima das leis, nem mesmo o Presidente da República”, frisou Ediene Lousado. (As informações do A Tarde)

PORTUGAL E CHILE JOGAM POR VAGA NA FINAL E CHANCE DE TÍTULO INÉDITO DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES

Os campeões dos principais continentes, quando se fala de futebol, se enfrentam hoje, às 15h, em Kazan, em uma das semifinais da Copa das Confederações. Apesar de não terem começado a Copa América e a Eurocopa como principais favoritos, Chile e Portugal, respectivamente, tiveram seus méritos nas conquistas do ano passado e prometem um jogo equilibrado em busca da final do torneio na Rússia - e de um título inédito para ambos.

Se a seleção chilena tem um time entrosado e três jogadores decisivos - Sánchez, Vidal e Vargas -, Portugal aposta no atual melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo, em condição física até melhor do que na Eurocopa do ano passado, na França. Os portugueses contaram com três gols dele na fase inicial, em que venceram Rússia e Nova Zelândia e empataram com o México, num partida em que os mexicanos fizeram o 2x2 já nos descontos.

Desfalques
No entanto, Portugal terá desfalques para a semifinal de hoje. Pepe, suspenso, e Raphael Guerreiro, lesionado, são certos. Já o camisa 10 Bernardo Silva, que, recentemente trocou o Monaco pelo Manchester City, ainda é dúvida, após torcer o tornozelo na goleada de 4x0 contra os neozelandeses.

“Temos mais 24 horas para analisar. Ele fez um treino de adaptação de manhã, ao lado do time, e não reagiu mal, mas temos que esperar. Nesse tipo de lesão, o tempo conta muito. Amanhã (hoje), tomaremos a decisão”, disse o técnico Fernando Santos.

O treinador do Chile, Juan Antonio Pizzi, elogiou CR7, mas disse que não pretende fazer nenhuma marcação especial no astro português. “Está claro que Ronaldo faz parte do elenco que enfrentaremos amanhã (hoje), e logicamente temos que tomar cuidado com ele, com as virtudes que tem, assim como a equipe rival. Mas nada especial“, afirmou o comandante chileno.

Vidal foi na mesma linha. “Nós gostamos de jogar contra seleções de primeiro nível. Cristiano está fazendo as coisas muito bem, mas não vamos jogar contra ele, jogamos contra Portugal”, reiterou o volante do Bayern de Munique. (As informações do Correio)

APÓS CONVERSA COM ADIRETORIA DO VITÓRIA, FLÁVIO RESCINDE CONTRATO DE FORMA AMIGÁVEL

O volante Flávio não é mais jogador do Vitória. Duas semanas após ser afastado do elenco principal do Leão (saiba mais aqui), o atleta rescindiu contrato com o clube na tarde da última terça-feira (27) e já se despediu dos companheiros. Segundo o jogador, o acordo foi amigável. “Eu já vinha conversando alguns dias com a diretoria e ontem [terça-feira] fui no Barradão e fiz um acordo amigável para rescindir o meu contrato”, disse o atleta.

Flávio, que chegou ao Vitória em 2015, garante que continuará torcendo pelo sucesso da agremiação. “Sou muito grato ao Vitória. Quero desejar toda sorte do mundo e que serei eternamente grato, pois foi o clube que abriu as portas. Quero agradecer a Hamilton Mendes [ex-técnico do Sub-20] que me aprovou no teste. Serei eternamente grato ao clube que aprendi a gostar e amar. Sempre estarei na torcida pelo Vitória”, emendou. Por fim, o jogador revelou que analisa proposta de outras agremiações.

“Meu empresário já recebeu algumas propostas e estamos analisando. No momento não tem nada definido”, finalizou. Flávio, de 21 anos, disputou 64 partidas pelo time principal do Leão. Seu contrato iria expirar em outubro deste ano. (As informações do BN)

TEMER SUFOCA A PF, AFIRMA PROCURADOR APÓS SUSPENSÃO DE PASSAPORTES

O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos responsáveis pela Operação Lava Jato no Paraná, criticou o governo de Michel Temer, um dia após a suspensão pela Polícia Federal da emissão de passaportes. Lima criticou, ainda, a redução da equipe responsável pela operação e sugeriu que isso pudesse prejudicar as investigações pelo País. "O governo Temer sufoca a Polícia Federal. Nem dinheiro para a emissão de um documento necessário como o passaporte", escreveu o procurador em sua página no Facebook. "Imagine como está a continuidade das diversas investigações pelo País."

Segundo Lima, na operação Lava Jato "a equipe da polícia foi significativamente reduzida". O procurador ainda questionou: "A quem isso interessa?" A Polícia Federal informou nesta terça-feira, 27, que está suspensa a confecção de novas cadernetas de passaportes solicitadas a partir de então, devido à insuficiência de orçamento.

"A medida decorre da insuficiência do orçamento destinado às atividades de controle migratório e emissão de documentos de viagem", informou a PF, que disse, ainda, que o agendamento online do serviço e o atendimento nos postos da instituição continuarão funcionando normalmente. Não há, porém, previsão para entrega do passaporte, enquanto não for normalizada a situação orçamentária. Quem tiver sido atendido antes do dia 27 receberá o passaporte normalmente.

Na última segunda-feira, 26, a PF concluiu que Temer cometeu o crime de obstrução de investigação de organização criminosa em relatório encaminhado ao Supremo Tribunal Federal (STF), no qual também vê a mesma conduta criminosa do ex-ministro do governo Temer Geddel Vieira Lima e do empresário e delator Joesley Batista.

A atribuição de conduta criminosa a Temer se dá, na visão da PF, "por embaraçar investigação de infração penal praticada por organização criminosa, na medida em que incentivou a manutenção de pagamentos ilegítimos a Eduardo Cunha (deputado cassado preso), pelo empresário Joesley Batista, ao tempo em que deixou de comunicar autoridades competentes de suposta corrupção de membros da Magistratura Federal e do Ministério Público Federal que lhe fora narrada pela mesmo empresário". (As informações do Estadão)

TRIBUNAL DERRUBA SENTENÇA DE MORO E LIVRA CACCARI DE 15 ANOS DE PRISÃO

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região derrubou uma sentença do juiz federal Sérgio Moro e absolveu o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto de 15 anos e 4 meses de prisão. O petista era acusado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Em nota, o tribunal informou que os desembargadores entenderam que as provas contra Vaccari são “insuficientes” e se basearam “apenas em delações premiadas”. A denúncia acusava Vaccari de ter intermediado para o PT “ao menos R$ 4,26 milhões de propinas acertadas com a Diretoria de Serviços e Engenharia da Petrobras pelo contrato do Consórcio Interpar”.

Na mesma decisão, a 8ª Turma aumentou a pena do ex-diretor de serviços da Petrobras Renato de Souza Duque em 23 anos, manteve a pena do empresário Adir Assad e diminuiu a pena de Sônia Mariza Branco e Dario Teixeira Alves Júnior. Todos os atos do juiz Sérgio Moro são submetidos ao crivo da 8ª Turma da Corte Federal, composta por três desembargadores.

O ex-tesoureiro do PT está preso desde abril de 2015. A sentença de 15 anos e 4 meses, de setembro daquele ano, era a primeira e a mais alta de Vaccari na Lava Jato. O ex-tesoureiro do PT foi condenado em outros quatro processos e pegou as penas de 9 anos (maio de 2016), de 6 anos e 8 meses (setembro de 2016), de 10 anos (fevereiro de 2017) e de 4 anos e 6 meses (junho de 2017).

Conforme o desembargador Leandro Paulsen, o material probatório é insuficiente: “A existência exclusiva de depoimentos prestados por colaboradores não é capaz de subsidiar a condenação de 15 anos de reclusão proferida em primeiro grau de jurisdição, uma vez que a Lei 12.850/13 reclama, para tanto, a existência de provas materiais de corroboração que, no caso concreto, existem quanto aos demais réus, mas não quanto a João Vaccari”.

O criminalista Luiz Flávio Borges D’Urso, defensor de Vaccari, disse, em nota, que a Justiça foi realizada, lembrando que “a lei proíbe condenação baseada, exclusivamente, em delação premiada, sem que existam provas a confirmar tal delação e foi isto que havia ocorrido neste processo”. Também em nota, a senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que “a decisão de segunda instância também chama a atenção quanto ao uso abusivo de prisões preventivas, que submetem, injustamente, pessoas à privação de liberdade”. (As informações do Correio)

CONSELHO NACIONAL DO MP DECIDE APLICAR PENA DE DEMISSÃO A ALMIRO SENA

O Plenário do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu nesta terça-feira (27) pela aplicação da pena de demissão ao promotor de Justiça do Estado da Bahia Almiro Sena, por infrações disciplinares análogas aos crimes de estupro e assédio sexual. A deliberação dos conselheiros seguiu o voto do relator, Antônio Duarte. Com base no voto do relator, que tem 51 páginas, foi determinado que o procurador-geral de Justiça do Estado da Bahia encaminhe ação civil de perda do cargo, com prazo de até 30 dias para ajuizar o processo, a partir da notificação da decisão.

A Procuradoria-Geral de Justiça do Estado deve dar entrada na ação independentemente de autorização do Órgão Especial do Colégio de Procuradores baiano. A penalidade se acumula a aplicação de medida administrativa de disponibilidade por interesse público, que ficará em vigor até o fim do processo de perda do cargo.

A decisão foi aplicada no contexto do processo administrativo disciplinar instaurado pela Corregedoria-Geral do Ministério Público da Bahia (MP-BA) referente às denúncias de que Sena assediou funcionarias da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (atual Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social), que foi avocado (sofreu mudança de competência) após evidências de tumulto processual e comprometimento regular do procedimento. (As informações do BN)

terça-feira, 27 de junho de 2017

DOS PRÓXIMOS NOVE ADVERSÁRIOS DO BAHIA, SETE ESTÃO NA METADE DE BAIXO DA TABELA

O Bahia está há cinco jogos sem vencer, só marcou um ponto dos últimos 15 em disputa e, consequentemente, entrou na zona de rebaixamento da Série A, em 17º lugar. Entre tantas teorias, justificativas e explicações para a queda de rendimento da equipe está o fato de ter encarado uma sequência complicada, contra times que estão na parte de cima da tabela ou até na disputa pelo título.

Nas últimas cinco partidas, por exemplo, o Bahia enfrentou Grêmio (fora), Coritiba (fora), Palmeiras (casa), Corinthians (fora) e Flamengo (casa). Curiosamente, os quatro primeiros colocados, além do Coritiba, hoje na nona colocação. De agora em diante, no entanto, restam nove jogos para o final do primeiro turno e, em sete deles, o tricolor terá pela frente equipes que estão entre a 11ª e a 20ª posição.

A próxima sequência de cinco partidas, na teoria menos complicada, se inicia com o clássico diante do Vitória, 18º colocado, domingo (2/7), às 16h, no Barradão. Depois o Bahia recebe o Fluminense (8º), visita a Ponte Preta (11º), encara o atual lanterna Avaí (20º) na Fonte e vai até Belo Horizonte enfrentar o Atlético-MG (14º), pela 15ª rodada do Brasileirão.

Ou seja, das próximas cinco partidas, quatro são contra equipes que atualmente figuram na segunda metade da tabela. Da 16ª até a 19ª rodada, os adversários serão o Santos (5º) na Vila Belmiro, Sport (15º) na Fonte Nova, Chapecoense (13º) na Arena Condá e fecha diante do São Paulo (16º) novamente na Fonte Nova.

Ao final do primeiro turno, o Bahia terá feito nove jogos em casa e 10 fora. Entretanto, vale lembrar que o time é visitante no Ba-Vi do próximo domingo. A situação se inverte no returno, quando o tricolor fará 10 partidas como mandante e nove como visitante. (As informações do Correio)

PT DIZ QUE VAI OBSTRUIR VOTAÇÕES DAS REFORMAS ATÉ ANÁLISE DE DENÚNCIA

Líderes do PT na Câmara e no Senado qualificaram nesta segunda-feira, 26, como "gravíssima" a denúncia feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva. Segundo o deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), a estratégia do partido será obstruir votações na Câmara até que a denúncia seja analisada pela Casa.

"Não vamos aceitar qualquer manobra que o governo tente fazer", afirmou o líder da bancada petista. Segundo ele, mesmo que Temer consiga maioria na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara para barrar a denúncia, ele não atingirá os 172 votos necessários no plenário. "Eles vão tentar fazer todas as manobras na CCJ, mas mesmo se vencer lá na comissão, será uma vitória de Pirro, porque no plenário não há como substituir deputados. Como um deputado vai voltar para os seus Estados e dar entrevistas para os jornais, TVs e rádios de lá e ter que se explicar sobre como estão votando favoravelmente a um governo que só retira direitos de trabalhadores?"

Para que o Supremo Tribunal Federal (STF) analise o pedido da Procuradoria-geral da República, é necessária que a denúncia seja autorizada por ao menos dois terços dos deputados.

O líder da minoria na Câmara, José Guimarães (PT-CE), disse não haver mais clima no Congresso para discutir as reformas trabalhista e da Previdência, principais apostas do governo Temer para tentar sair da crise política. "A primeira providência será parar as reformas. Não é possível, nem o Senado e nem a Câmara, votarem qualquer matéria. O Brasil não aguenta. A economia brasileira está derretendo", afirmou o deputado.

No Senado, o líder do PT, Lindbergh Farias (PT-RJ), também tem a mesma opinião. "O governo Temer acabou. Não vai ser fácil eles conseguirem 172 votos. Será uma votação aberta, televisionada. E estamos perto das eleições. Queremos parar a tramitação das reformas. Não tem clima para votar a reforma trabalhista quarta-feira", afirmou o senador, em referência à votação marcada na CCJ do Senado. (As informações do Estadão)

SERVIDORES DA UNEB INICIAM SEMANA PARALISAÇÃO EM TODOS OS CAMPI

Os servidores técnico-administrativos da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) iniciaram nesta segunda-feira (26) uma paralisação nos 29 departamentos da instituição, na administração central, no Museu de Ciência e Tecnologia e no prédio administrativo com sede na Pituba, além do polo independente de Canudos.

A parada das atividades, decidida em assembleia extraordinária do dia 06 de junho, seguirá até a próxima sexta-feira (30).

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau do Estado da Bahia (Sintest), a categoria reivindica do Governo do Estado a implementação em folha do pagamento das Progressões funcionais aprovada desde julho do ano passado, bem como as promoções, solicitação de alteração de carga horária de 30 para 40 horas, reajuste salarial e aumento do auxílio alimentação.

Em apoio à paralisação, a diretoria executiva da Associação dos Docentes da Universidade do Estado da Bahia (Aduneb) informou que fechará os portões dos campi da universidade e solicitou que os professores da universidade 'respeitem a paralisação dos técnicos'. (As informações do Correio)

SENADO RETIRA NOME DE AÉCIO NEVES DA LISTA DE PARLAMENTARES EM EXERCÍCIO

Mais de um mês depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) determinar o afastamento de Aécio Neves (PSDB-MG), o Senado retirou o tucano mineiro da lista de parlamentares em exercício. Disponível no site da Casa Legislativa, a lista era o último resquício de Aécio no Senado, de acordo com informações da coluna Radar Online, da Veja. Há um mês, o nome dele já havia sido retirado do painel de votação da Casa. Ainda assim, o Conselho de Ética do Senado arquivou o pedido de cassação do mandato do tucano, feito por partidos da oposição, por "falta de provas". No momento, a bancada de Minas Gerais está representada por dois senadores: Antonio Anastasia (PSDB) e Zezé Perrella (PMDB), também arrolado nas gravações feitas pelo empresário Joesley Batista no âmbito da Operação Patmos.