quinta-feira, 18 de julho de 2019

ABONO DO PIS/PASEP COMEÇA A SER PAGO NA PROXÍMA QUINTA-FEIRA (25)

O pagamento do abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) e do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), exercício 2019/2020, começa na quinta-feira (25) da próxima semana. A liberação do dinheiro para os cadastrados no PIS vai considerar a data de nascimento e os do Pasep, o dígito final do número de inscrição.

Os trabalhadores que nasceram entre julho e dezembro receberão o abono do PIS ainda este ano. Já os nascidos entre janeiro e junho terão o recurso disponível para saque em 2020. Recebem também este ano os servidores públicos cadastrados no Pasep com dígito final do número de inscrição entre 0 e 4. Os com final entre 5 e 9 receberão no próximo ano.

A data para o fechamento do calendário de pagamento do exercício 2019/2020 está prevista para o dia 30 de julho de 2020. A estimativa é de que sejam destinados R$ 19,3 bilhões a 23,6 milhões de trabalhadores. O pagamento do abono salarial referente ao PIS será feito pela Caixa em suas agências em todo o país; e o abono do Pasep será pago no Banco do Brasil.

Quem tem direito
Para ter direito ao abono salarial do PIS/Pasep é necessário ter trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2018, com remuneração média de até dois salários mínimos. Além disso, o trabalhador tem de estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos e ter tido seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Para os trabalhadores que tiverem os dados declarados na Rais 2018 fora do prazo e entregues até 25 de setembro de 2019, o pagamento estará disponível a partir de 4 de novembro de 2019, conforme calendário de pagamento aprovado, e, após este prazo, somente no calendário seguinte. (As informações da Agência Brasil)

BRUNO REIS AFIRMA QUE PDT É PARTIDO QUE 'QUALQUER UM GOSTARIA DE PODER CONTAR'

A relação amistosa entre o secretário Municipal de Saúde, Léo Prates (DEM), com o PDT baiano se estende a outros membros do Democratas. O vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), chegou a admitir que gostaria de contar com o partido na base aliada. Atualmente, a sigla é ligada ao governador Rui Costa (PT) no estado.

"O PDT tem uma história de trabalhismo, a história dos direitos dos cidadãos. É um partido de uma trajetória limpa, um partido que tem serviços prestados ao Brasil, tem grandes quadros na Bahia, em especial, Salvador, então não tenha dúvidas que é um partido que eu acho que qualquer um gostaria de poder contar com o apoio", ressaltou ao ser questionado pelo Bahia Notícias durante a inauguração de um posto de saúde, em Cassange, na manhã desta quinta-feira (18).

A aproximação entre as siglas ficou mais evidente nas últimas semanas. Nessa quarta (17), por exemplo, Prates compareceu a uma palestra do ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). (As informações do BN)

LIBERAÇÃO DE PARTE DO FGTS É ADIADA; TÉCNICOS FAZEM AUSTES, EXPLICA MINISTRO

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta quinta-feira, 18, que as equipes técnicas do Ministério da Economia ainda trabalham em cima dos ajustes necessários para a liberação dos saques do FGTS e do PIS/Pasep. Por isso, segundo ele, o anúncio das medidas e seu detalhamento serão feitos apenas na próxima semana, na quarta ou na quinta-feira, a depender da agenda do presidente Jair Bolsonaro.

"Será um medida muito importante para as famílias e os trabalhadores e os detalhes técnicos ainda estão sendo ajustados", disse Onyx, que não respondeu nenhuma pergunta sobre o volume a ser liberado e as condições para os saques sejam autorizados.

O ministro apenas garantiu que o funding para os empréstimos imobiliários e para o Programa Minha Casa Minha Vida com recursos do FGTS não será ameaçado. "Garantimos que nada vai afetar a construção civil. Não vamos usar a parte do FGTS usada para o financiamento de imóveis", completou.

Onyx participou de reunião da Junta Executiva Orçamentária, com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Na próxima segunda-feira, o governo deverá publicar um novo relatório bimestral de avaliação de receitas e despesas. "Recebemos um orçamento apertado e temos o desafio de continuar as ações do governo. Mas não estamos pensando em um novo contingenciamento de gastos", completou.

Medida
O Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, revelou que a proposta do Ministério da Economia é permitir que os trabalhadores saquem entre 10% e 35% dos recursos das contas ativas do FGTS dependendo do tamanho do saldo que possuem no fundo.

A equipe econômica também defende que a mesma proporção seja aplicada às contas inativas (de contratos de trabalhos anteriores).

Outra medida em estudo, também revelada pelo Broadcast, é limitar os saques para os demitidos sem justa causa Hoje, é possível resgatar tudo o que tem no fundo nessa situação.

A equipe econômica defende colocar um limite e, para compensar, permitir que, todo ano, seja possível sacar uma parcela no mês de aniversário. As propostas foram entregues ao presidente Jair Bolsonaro na quarta à noite. Ele seria o responsável por bater o martelo. (As informações do Estadão)

PROFESSORA É ESFAQUEADA EM CRECHE DE SÃO CRISTÓVÃO

A professora Carla Nascimento Dias, de 32 anos, foi esfaqueada por volta das 7h, na creche da Associação Dom Bosco na primeira Travessa Santo Agostinho no bairro de São Cristóvão. A vítima é professora de crianças, de um a cinco anos, da instituição. Ela levou um corte na cabeça e foi socorrida por moradores da travessa para Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Itinga, onde recebeu os primeiros socorros e permanece em observação.

A autora do crime seria uma mulher, identificada apenas por Camila, segundo informações do presidente da instituição, José Gilmar, de 40 anos. “A motivação do crime seria por ciúmes. Carla e Camila são amigas, só que a agressora estaria com ciúmes da vítima por conta do companheiro de Camila”.

No horário da tentativa de homicídio havia cerca de 90 crianças, de idade entre um e cinco anos. Elas estavam no primeiro andar e não presenciaram o crime.

Policiais da 49ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) foram até o local, mas Camila não foi presa. O caso é investigado pela Polícia Civil (PC). (As informações do A Tarde)

NETO DIZ QUE ESTÁ 'BEM AVANÇADO' COM CERVEJARIAS PARA O CARNAVAL

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), disse que está “bem avançado” com uma cervejaria para exclusividade do Carnaval. Com o fim do contrato com a Ambev, o gestor não quis revelar se vai continuar com a mesma ou irá mudar, mas deixou escapar que seria uma “renovação”.

“Estamos negociando a renovação. Estamos bem adiantados. Nós vamos ter um tempo bom com uma cervejaria. Pode ser a que está hoje ou pode ser outra”, afirmou.

Questionado se o contrato seria acima do seu mandato, que termina em dezembro de 2020, o democrata não descartou. “Estamos negociando e discutindo”.

terça-feira, 16 de julho de 2019

PROCURADOR CHAMA DECISÃO DE TOFFOLI DE 'RETROCESSO SEM TAMANHO'

O procurador da República no Rio de Janeiro Eduardo El Hage, coordenador da Operação Lava Jato no Estado, afirmou nesta terça-feira, 16, que a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, suspenderá "praticamente todas as investigações de lavagem de dinheiro no Brasil." Toffoli suspendeu provisoriamente, até que o plenário decida sobre o caso, todos os inquéritos e procedimentos investigatórios criminais (PICs) em que houve compartilhamento de dados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), da Receita Federal e do Banco Central com o Ministério Público sem autorização judicial prévia.

Para El Hage, a exigência de decisão judicial para a utilização de relatórios do Coaf "ignora o macrossistema mundial de combate à lavagem de dinheiro e ao financiamento ao terrorismo e aumenta o já combalido grau de congestionamento do Judiciário brasileiro." O procurador considera a decisão do presidente da Corte um "retrocesso sem tamanho" e espera que ela seja revertida pelo plenário. O julgamento está marcado para novembro deste ano.

Toffoli tomou a decisão em um processo de repercussão geral em que se discute a possibilidade ou não de os dados bancários e fiscais do contribuinte serem compartilhados sem a intermediação do Poder Judiciário. A defesa do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), alvo de investigação do Ministério Público do Rio (MP-RJ) que se enquadra nos casos abarcados pela decisão, havia pedido ao Supremo a suspensão, que foi atendida por Toffoli.

Na tarde desta terça, um habeas corpus impetrado pela defesa de Flávio estava pautado para votação na 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), mas foi retirado após a decisão de Toffoli. Os advogados do parlamentar questionam a legalidade da quebra dos sigilos bancário e fiscal do filho do presidente da República. Em abril, a Justiça do Rio autorizou a medida solicitada pelo MP-RJ, que atingiu, além dele, 85 pessoas e nove empresas ligadas ao seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

O Ministério Público estadual alega que havia um esquema de "rachadinha" no gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj entre 2007 e 2018, período abarcado pela quebra de sigilo. Foi nesse intervalo de tempo que o policial militar Fabrício Queiroz, acusado de ser o operador do suposto esquema, esteve lotado no escritório do filho do presidente.

A tese do Ministério Público é a de que assessores 'fantasmas' devolviam parte dos próprios salários - Queiroz seria o responsável pelo gerenciamento.

O caso, revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo em dezembro do ano passado, teve como origem relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontaram movimentações consideradas atípicas nas contas do policial militar: R$ 1,2 milhão no período de um ano, o que seria incompatível com seus rendimentos. (As informações do Estadão)

COORDENADOR DA LAVA JATO NA PGR PEDE DEMISSÃO

O procurador José Alfredo de Paula Silva, responsável por coordenar o grupo de trabalho da Operação Lava Jato na Procuradoria-Geral da República (PGR), pediu demissão do cargo. Em ofício protocolado na última sexta-feira (12), ele disse que a decisão foi motivada por questões pessoais.

Segundo informações da Folha de S. Paulo, Silva ocupava o posto desde setembro de 2017 quando Raquel Dodge assumiu o cargo de procuradora-geral da instituição. Com isso, a saída dele era esperada para o próximo mês de setembro, quando se encerra o mandato dela. Essa antecipação gerou surpresa nos colegas, segundo informações da Folha de S. Paulo.

Já o jornal O Globo atribui a decisão de Silva a um descontentamento com Dodge por conta do ritmo lento em que as investigações vêm sendo conduzidas. Um dos casos que têm gerado críticas a ela, por exemplo, é a demora em enviar a delação do empreiteiro Léo Pinheiro para o Supremo Tribunal Federal (STF). O ex-presidente da OAS citou autoridades do Judiciário e do Legislativo em sua delação, mas esses relatos só podem ser utilizados após a homologação do acordo por parte da Corte

Além disso, o Globo diz que Silva se irritou com a tentativa de Dodge de ser reconduzida ao cargo de chefe do Ministério Público Federal (MPF), mesmo sem ter se candidatado à lista tríplice.

LÍDER D GOVERNO NO SENADO DIZ QUE NOME DE EDUARDO BOLSONARO SERIA APROVADO

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou nesta terça-feira, 16, ser favorável à indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada do Brasil em Washington, nos Estados Unidos. Ele disse estar trabalhando para que, caso o presidente Jair Bolsonaro confirme a indicação de seu filho para o cargo, que ela seja aprovada pelo Senado.

Um embaixador indicado pelo presidente da República deve ser sabatinado pela Comissão de Relações Exteriores do Senado. O colegiado, então, vota pela aprovação ou não do nome e depois o plenário da Casa também decide sobre a indicação.

"Estamos cuidando para que, se essa indicação for feita, ela ser aprovada pelo Senado. O governo tem maioria na Comissão de Relações Exteriores e no plenário para aprovar o nome do Eduardo", disse. O senador contou ainda que conversou com Bolsonaro na noite de ontem e na manhã de hoje e disse que o presidente "está inclinado" a oficializar a indicação.

O líder do governo avaliou que a questão não deve atrapalhar a tramitação da reforma da Previdência. "São dois assuntos diferentes", disse.

Toffoli
O senador elogiou ainda a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, de suspender todos os processos judiciais que tramitam no País em que houve compartilhamento de dados da Receita Federal, do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e do Banco Central com o Ministério Público sem prévia autorização judicial ou sem a supervisão da Justiça.

A decisão deve ter efeitos sobre o processo que tramita contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho mais velho do presidente Bolsonaro, no Ministério Público do Rio de Janeiro, revelado pelo Estado/Broadcast em dezembro. Foi um pedido da própria defesa do senador que resultou na medida tomada por Toffoli, mas a decisão não deixa expresso se a investigação contra Flávio também é suspensa.

"A decisão do presidente do STF coloca freios na busca da legalidade dos atos que são praticados em qualquer investigação. A decisão não é sobre Flávio Bolsonaro, mas sobre o bom direito", disse. (As informações do Estadão)

UNIVERSIDADE NA BA É ALVO DE INTERVENÇÃO DO MEC POR RESERVAR VAGAS PARA TANSEXUAIS

A Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), que tem um de seus campus instalados na cidade de São Francisco do Conde, no Recôncavo baiano, foi criticada pelo presidente da República Jair Bolsonaro e alvo de intervenção por parte do Ministério da Educação, após reservar vagas para candidatos transexuais, travestis, intersexuais e pessoas não binárias em seu edital de vestibular.

Conforme divulgado pelo próprio presidente no Twitter, após a intervenção do MEC a reitoria da Unilab "se posicionou pela suspensão imediata do edital e sua anulação a posteriori".

REUNIÃO QUE DISCUTIRA PROJETO DO ISS NA CÂMARA É ADIADA

A reunião entre representantes da Câmara Municipal de Salvador (CMS) e Ministério Público (MP-BA) que teria como pauta o projeto do Executivo municipal que prevê a isenção de pagamento do ISS por parte das empresas de transporte acabou adiada.

Prevista inicialmente para estar quarta-feira (17), conforme informado pelo presidente da CMS Geraldo Junior (leia mais aqui), a discussão será realizada em uma data futura, mais próxima da votação do projeto na Casa. A nova data foi definida para o dia 6 de agosto, com unanimidade entre os líderes Silvio Humberto (PSB), Marta Rodrigues (PT), Paulo Magalhães Junior (PV) e Edvaldo Brito (PSD).

A mudança de data partiu de uma solicitação da promotora Rita Tourinho, por meio de ofício. A reunião também contará com a presença do promotor Adriano Assis.

O presidente da Câmara de Vereadores de Salvador, Geraldo Junior pretende pautar a votação na Casa até o dia 10 de agosto. O prazo final para votação do texto na CMS é o dia 30 de agosto.

segunda-feira, 15 de julho de 2019

MULHER QUE EMPURROU MARCELO ROSSI DIZ QUE QUERIA CONVERSAR COM O PADRE

A mulher que empurrou o padre Marcelo Rossi em uma missa em Cachoeira Paulista, em São Paulo, neste domingo (14), disse que o ocorrido foi algo entre ela e o padre. "Entre eu e ele, entre eu e ele", comentou na saída da delegacia onde prestou depoimento, em Lorena (SP).

De acordo com informações do Uol, após a declaração ela entrou em um carro da Canção Nova, instituição organizadora da missa, e foi levada de volta à cidade do evento.

O delegado responsável pelo registro da ocorrência, Daniel Castro, por sua vez, falou que, no depoimento, ela afirmou que a intenção era se aproximar para conversar com o padre e não de agredi-lo. A mulher, que teve o nome preservado, disse sofrer de transtorno bipolar e fazer tratamento psiquiátrico.

De acordo com Castro, ela deu "declarações desencontradas". "Ela falou que queria entrar para conversar com ele e que se assustou na hora que viu os seguranças correndo atrás dela. É a versão dela, mas quem vê as imagens vê que não tem nada disso [seguranças correndo atrás dela]. Ela entrou correndo, se assustou e empurrou ele num momento em que meio que surtou, perdeu o controle, mas que não tinha intenção nenhuma, que queria só conversar com ele."

Uma representante do Conselho Tutelar de Cachoeira Paulista também foi à delegacia porque a mulher que empurrou o padre estava na excursão com um filho, de três anos de idade. Segundo Maria Cristiane Batista, o menor está sob responsabilidade de outra conselheira em uma pousada em Cachoeira Paulista. "Nossa conselheira ficou lá tomando conta da criança."

Segundo a Polícia Civil, caso o padre Marcelo Rossi não apresente queixa contra a mulher em até seis meses, o caso será arquivado. Inicialmente, o religioso disse que não irá fazer um boletim de ocorrência. Sendo assim, a mulher vai permanecer em liberdade. (As informações do Correio)

APÓS RUMOR SE ESPALHAR, MINISTRO DIZ QE NÃO HAVERÁ COBRANÇA NA GRADAÇÃO

Neste domingo (14), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, reagiu a um rumor que circulou em blogs e em redes socais nos últimos dias que dizia que universidades federais passariam a cobrar mensalidades dos alunos. Segundo essas mensagens, o anúncio de um programa para implementar as cobranças aconteceria em reuniões na próxima quarta (17), para a qual foram convocados representantes de instituições de todo o país.

Em uma postagem no Twitter neste domingo (14), porém, o ministro disse que as universidades federais continuarão públicas e que os estudantes não pagarão pela graduação, assim como é hoje. Em outras ocasiões, o ministro já defendeu cobrança para alguns cursos de pós-graduação.

Segundo informações divulgadas pelo jornal Valor Econômico na última semana, o novo projeto seria chamado Future-se e teria como objetivo o "fortalecimento da autonomia financeira das universidades e dos institutos federais", nas palavras do secretário de Educação Superior do MEC, Arnaldo Barbosa de Lima Júnior. (As informações da por Folhapress)

MINISTÉRIO PÚBLICO INVESTIGA CONTAS ELEITORAIS DE FLÁVIO BOLSONARO

O Ministério Público do Rio faz um pente-fino nas contas eleitorais do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) para saber se o dinheiro arrecadado por Fabrício Queiroz com outros assessores do antigo gabinete dele na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) irrigou campanhas políticas do filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro.

Doações recebidas diretamente e via partidos e despesas contratadas, como de gráficas, pessoal e locação de veículos, são investigadas desde o fim de março pelo Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc) no âmbito do inquérito que apura supostos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa por meio do desvio de salário de assessores no gabinete de Flávio na Alerj.

Eleito deputado estadual em 2002, Flávio ocupou cadeira na Alerj até dezembro de 2018. No período, disputou seis eleições ao cargo no Estado, uma a prefeito do Rio, em 2016, e a vaga ao Senado no ano passado. Além do uso eleitoral, investigadores analisam em sigilo possível enriquecimento ilícito dos envolvidos e prática de agiotagem, entre outros, com os recursos arrecadados por Queiroz.

O foco do Ministério Público são as campanhas de Flávio, mas o aprofundamento das análises alcança indiretamente contas eleitorais do PSL do Rio, do PP e do PSC - partidos pelos quais disputou os pleitos - e se aproxima da estrutura política da família Bolsonaro, incluindo a do presidente.

Suspeito de ser o operador do esquema conhecido como "rachadinha", Queiroz trabalhou no gabinete de Flávio na Alerj de 2007 a 2018 e atuou em quatro eleições nesse período. Ao longo de 2016, ano em que Flávio disputou a prefeitura do Rio, Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão em sua conta bancária, com uma série de saques e depósitos fracionados considerados atípicos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Dados da quebra de sigilo fiscal e bancário de Flávio, Queiroz e de outros 92 alvos, decretada pela Justiça Estadual, devem ser cruzados com as informações de campanhas colhidas pelos promotores. As diligências em curso e análise do material levantado buscam trilhar o caminho do dinheiro e vão dar a dimensão dos desvios de salários de assessores ao longo dos 12 anos apurados. E se houve ou não envolvimento de Flávio.

Contas

Com base nas prestações de contas de campanha registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a reportagem listou os maiores doadores, as formas como foram recebidos os recursos e também as empresas contratadas diretamente e via partido, como as gráficas.

Até 2010 as campanhas de Flávio tiveram baixos valores de receitas e gastos. Naquele ano, ela foi feita com R$ 38 mil. Já em 2014, a reeleição a deputado estadual pelo PP custou R$ 214 mil, dos quais R$ 200 mil foram repassados pelo Diretório Nacional do partido, acusado na Operação Lava Jato de receber dinheiro de corrupção.

Em 2016, período das movimentações suspeitas de Queiroz, Flávio concorreu ao cargo de prefeito pelo PSC, partido do irmão vereador Carlos Bolsonaro. Na ocasião, ele teve a maior arrecadação do período investigado: R$ 871 mil. Quase todo valor foi doado pelo PSC por meio do Fundo Partidário.

No ano passado, quando Flávio foi eleito senador, sua campanha recebeu R$ 712,2 mil em doações em dinheiro e valores estimados por repasses de material de campanha e por prestação de serviços. A campanha do presidente Jair Bolsonaro foi a maior doadora de dinheiro para a do filho: R$ 200 mil. Nem o presidente nem sua campanha são alvo da apuração.

O PSL do Rio, presidido por Flávio, foi outro importante financiador da campanha ao Senado. O diretório estadual recebeu ao todo R$ 550 mil do PSL nacional. A ex-assessora e tesoureira-geral do partido nas eleições de 2018, Valdenice de Oliveira Meliga, também teve seu sigilo quebrado. Ela é irmã de Alan e Alex Rodrigues de Oliveira, presos em agosto de 2018 na Operação Quarto Elemento acusados de crimes e envolvimento com milícias.

Gráficas

Foi o PSL do Rio que bancou a impressão de santinhos, adesivos e faixas da campanha de Flávio em 2018, com valor de R$ 209,8 mil. Três gráficas produziram o material, quase a totalidade em dobradinha com a campanha presidencial do pai: a Grafserra, a Esfera Visual e a Apel Gráfica.

A Grafserra foi a que mais recebeu por serviços doados à campanha de Flávio - R$ 273 mil -, e imprimiu 10 milhões de santinhos com a imagem dos Bolsonaro. Entre os clientes da empresa estavam ainda os candidatos a deputado federal Hugo Leal (PSD), Leonardo Picciani (MDB) e Simão Sessim (PP), além do deputado estadual Max Rodrigues Lemos (MDB).

Defesa

O advogado Luis Gustavo Botto Maia, responsável pela campanha de Flávio Bolsonaro ao Senado em 2018 e pela prestação de contas do PSL do Rio, recebeu procuração do senador em fevereiro deste ano para atuar como representante legal e acompanhar a investigação do Ministério Público do Rio. Procurado pela reportagem, ele não respondeu até a publicação desta matéria.

Flávio Bolsonaro nega ter praticado qualquer ato ilícito durante seu mandato como deputado estadual. Ele afirma que o ex-assessor Fabrício Queiroz tinha autonomia dentro de seu antigo gabinete na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e que desconhecia as práticas adotadas por ele. Flávio diz ainda que seu sigilo foi quebrado de forma ilegal pelos promotores e que é vítima de perseguição, cujo objetivo é atingir o governo de seu pai.

Em sua defesa encaminhada por escrito ao MP, Queiroz disse que arrecadava parte do salário dos assessores para contratar apoiadores externos informais para melhorar o desempenho político do então deputado estadual. Ele disse que Flávio não sabia disso e que não via irregularidade na prática, proibida pelo Alerj. O Ministério Público considera que a versão de Queiroz corrobora as suspeitas de peculato envolvendo o dinheiro da Alerj.

Procurado, o órgão não comentou as investigações, colocadas sob sigilo pelo juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal do Rio. (As informações são do jornal O Estado de S. Paulo)

QUILOMBO EM LAURO DE FREITAS É INVADIDO E TEM CASA INCÊNDIADA

O Quilombo Quingoma, localizado em Lauro de Freitas, foi invadido neste domingo, 14. Segundo informações iniciais, um homem se identificou como agente da Polícia Civil e ateou fogo em barracos, agrediu um morador e derrubou uma casa de alvenaria.

Segundo a presidente da associação quilombola, Ana Silva, os moradores do quilombo registraram o Boletim de Ocorrência na Polícia Civil e a mesma teria informado que mandaria a equipe de perícia, para verificar os danos materiais no imóvel. Horas depois, um agente teria informado que não se dirigiria ao local naquele momento por considerar o bairro "de alta periculosidade". Os agentes teriam prometido uma nova visita, o que não ocorreu.

A reportagem entrou em contato com a Polícia Civil e aguarda o posicionamento. (As informações do A Tarde)

LISTA DE ESPERA DO FIES É AUTOMÁTICA E ESTUDANTES DEVEM FICAR ATENTOS

Os estudantes que não foram pré-selecionados na chamada regular do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) devem, a partir de hoje (15), ficar atentos, pois podem, a qualquer momento, ser contemplados com o financiamento.

O acompanhamento deve ser feito pelo site do programa. Todos os participantes que não foram pré-selecionados serão automaticamente inscritos na lista de espera, que visa preencher as vagas que ainda não foram ocupadas.

A partir desta segunda-feira, até 23 de agosto, os estudantes poderão ser convocados. Os candidatos que forem pré-selecionados na lista deverão complementar a inscrição no prazo de três três dias úteis, contados do dia subsequente ao da divulgação de sua pré-seleção no FiesSeleção. A lista de espera vale apenas para os candidatos inscritos na modalidade juro zero.

Para a segunda edição do ano, 46,6 mil vagas foram ofertadas em 1.756 instituições de ensino privadas de todo o país nesta modalidade. Com financiamento a juro zero, o Fies é voltado para estudantes com renda familiar mensal bruta por pessoa de até três salários mínimos.

Para concorrer ao financiamento, o candidato precisa ter feito qualquer uma das últimas dez edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ter alcançado média igual ou superior a 450 pontos nas questões e não ter zerado a redação.

A modalidade P-Fies, voltada a estudantes com renda familiar mensal bruta por pessoa de até cinco salários mínimos, não tem lista de espera.

Inscrição postergada
Começa hoje também, e vai até o dia 17, o prazo para os candidatos com inscrição postergada complementarem a inscrição pela internet.

Esses candidatos foram selecionados para receber o financiamento, mas devido ao fato de a conclusão do processo ter ocorrido no meio ou no fim do semestre corrente, escolheram que o início do financiamento se daria apenas no segundo semestre deste ano, adiando a confirmação da inscrição. (As informações da Agência Brasil)

sábado, 13 de julho de 2019

TEMPESTADE TROPICAL BARRY SE APROXIMA DOS EUA E PODE SE TORNAR FURACÃO

A tempestade tropical Barry se aproxima nesta sexta-feira, 12, do estado da Louisiana, no sul dos Estados Unidos, onde deve tocar terra nas primeiras horas de sábado, com a previsão de que ocorra uma perigosa combinação de ressaca e inundações.

"A principal preocupação que (a tempestade) Barry gera é a água, tanto da ressaca ciclônica, que avança sobre os territórios litorâneos, como a inundação de água doce terra adentro. É uma situação que coloca vidas humanas em risco e deve ser levada seriamente", afirmou o Centro Nacional de Furacões (NHC) no Twitter.

Um dos meteorologistas do Centro Nacional do Clima classificou a tempestade como "mortífera". "A tempestade tropical Barry é uma tempestade perigosa e potencialmente mortífera", alertou Benjamin Schott.

Autoridades cancelaram um show dos Rolling Stones que seria realizado no domingo, 14. Os moradores receberam ordem de se retirar de algumas áreas próximas, mas o prefeito de Nova Orleans disse que nenhuma retirada foi ordenada na cidade baixa, que fortaleceu suas defesas contra inundações depois do devastador furacão Katrina em 2005.

O presidente americano Donald Trump declarou estado de emergência na Louisiana. A produção petrolífera da região foi reduzida pela metade, e as empresas energéticas esvaziaram instalações de prospecção em alto-mar. O Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo dos EUA decretou emergência pública de saúde em Louisiana para que o estado se preparasse para o impacto do Barry.

Um dos fatores que mais causam temor é o nível do Rio Mississipi, que nesta época do ano costuma ficar entre 1,8 e 2,4 metros, e está atualmente em 4,8 metros. Segundo a imprensa local, a alta deixa Nova Orleans em uma situação de alerta próxima à do devastador Katrina.

O último boletim divulgado pelo NHC informa que o Barry está a 190 quilômetros da foz do Rio Mississipi, onde está Nova Orleans, e a 130 quilômetros de Morgan City, onde a tempestade deve tocar terra.

Segundo o órgão, Barry está avançando mais lentamente, a 6 km/h, com ventos máximos sustentados de 100 km/h. As rajadas, porém, chegam a 280 km/h na área mais próxima ao centro da tempestade.

Devido à intensidade dos ventos, de acordo com o NHC, Barry deve tocar terra com categoria de furacão 1 na escala Saffir-Simpson

Este será o primeiro furacão da temporada de 2019 no Oceano Atlântico, que começou oficialmente no dia 1º de junho. Antes da data, porém, a tempestade subtropical Andrea se formou na região, mas não provocou danos.

O NHC enviou diversos alertas de tempestade tropical e de furacão na região do litoral do Golfo do México. Segundo o último boletim do órgão, pode chover 63,5 cm em pontos isolados. Já a ressaca ciclônica deve provocar ondas de até 1,8 metros. (As informações do Estadão Com agências internacionais)